PALAVRA DE CADA DIA – SEGUNDO DOMINGO COMUM

SEGUNDO DOMINGO COMUM

Jo 1, 29-34
“Eis o Cordeiro de Deus, aquele que tira o pecado do mundo”

Deus tem um Plano de vida plena para os homens e, ao longo da História, escolhe e envia pessoas, para a realização desse Plano.

Após o Batismo, em que o céu confirmou a missão de Jesus, João Batista aponta que o CORDEIRO DE DEUS já está presente no meio do Povo.

O Evangelho retoma o episódio do Batismo, no qual aparecem duas afirmações sobre QUEM É JESUS:

Jesus é “O Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo”.
“Cordeiro”: Essa expressão lembra duas imagens: o misterioso personagem de que nos fala Isaías (servo sofredor), que irá ao matadouro como um cordeiro silencioso… Ele assume os pecados do seu povo e realiza a expiação. O Cordeiro Pascal imolado no Egito: O seu sangue, com que ungiram os portais das casas, foi sinal de libertação, de proteção divina e de certeza de salvação…

“Pecado” (no singular), para João, é a atitude de rejeição a Jesus: Hoje se fala muito de libertação da guerra, da opressão, da fome, do analfabetismo, da doença, da poluição, do desemprego… Não se fala da libertação do pecado, que é a fonte dos demais pecados.

“Mundo” designa a humanidade que resiste à Salvação.

Jesus é o “Filho de Deus”, que possui a plenitude do Espírito Santo e que batiza no Espírito. “Eu vi e dei o testemunho…” O caminho espiritual, percorrido por João Batista, para chegar à descoberta de Jesus como Cordeiro de Deus, é o mesmo que todos os cristãos devem percorrer.

Ele começa dizendo por 2 vezes que “não conhecia Jesus”. Este é o ponto de partida do caminho espiritual de todos nós: No começo, não conhecemos o Mestre. Em seguida, algum amigo nos fala dele. Reconhecemos que é uma pessoa extraordinária. Mais adiante, Deus ilumina o Batista com alguns sinais especiais. Ele abre os olhos por completo e reconhece em Jesus o Filho de Deus:

“Eu vi e dei o testemunho de que este é o Filho de Deus”. Quando descobrimos Jesus como Luz e Salvador do mundo, sentimos a necessidade de comunicar aos outros a nossa alegria. O Batista fala daquilo que viu, os cristãos também deveriam falar somente daquilo que viram e experimentaram.
Deus continua precisando de outros Batistas: Há muito tempo, os homens estão à procura de Cristo. E se ainda não o encontraram, talvez seja porque está faltando para eles um João Batista que lhes indique. E o Batista do tempo de hoje devo ser eu, devemos ser todos nós.

Todos nós devemos ser testemunhas do evangelho, preparar o encontro dos homens com Cristo. Em todos nós se esconde um precursor, um João Batista. É preciso acordá-lo.
Todos nós devemos indicar ao irmão o Cristo que se aproxima. Indicar o Cristo, e depois desaparecer… discretamente.

Como João Batista: não sou eu o protagonista desta história. Ele virá depois de mim. Eu sou apenas uma voz, sou apenas o dedo dele… Depois é preciso que eu desapareça, para que Ele possa aparecer.
Preparar o encontro do homem com Cristo e depois morrer… Então, a nossa passagem neste mundo não terá sido em vão.

Esta é a missão de todo cristão: preparar o caminho do Senhor e o encontro do homem com Deus, levantar o dedo e proclamar bem alto:”Eis aquele que o teu coração está procurando, eis aquele que veio para te amar e te salvar!”

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.